31 de mai de 2011

Até onde vai esse ciclo vicioso?

Algumas coisas mudam muito repentinamente na minha vida... outras não mudam nunca..
Semana que vem faz 1 ano que me separei... e vou encontrá-lo numa audiência de conciliação. E ele ainda me fala em recomeçar, Mas sei que nada mudou. Como diz a música: Eu não quero dizer, nem quero acreditar que vai ser diferente, que tudo mudou... Aqui a gente fala de essência.. faz parte dele.. não vai mudar nunca...
Agora a pouco eu estava assistindo a novela e o menino que fingia ser médico e mentia para a filha do prefeito afim de casar e se dar bem, foi desmascarado... bateu de porta em porta e todos bateram a porta na cara dele... até que ele, sem saida, enfiou o rabo entre as pernas e foi atrás da mãe... e ela lhe disse coisas que eu gostaria tanto que a mãe do Wener tivesse dito para ele... como eu gostaria que a vida imitasse a arte... Mas e ai? Do que iria adiantar? Se ele fazia o que fazia e a mãe dele nunca desconfiava (assim como eu, no começo) de que iria adiantar? Mais uma vez ele iria dizer que se arrependeu, pediria desculpas e depois faria tudo novamente...
No meu aniversário ele veio para Poços... eu tive a recaida... decidi dar a quadragéssima sexta "última chance".. mas ele já estava com outra... ao que tudo indica, a estagiaria.. Mesmo assim, ainda fui passar o Natal e Ano Novo com ele em São Luis.. e numa conversa parcialmente franca, ele me contou sobre uma garota.. sim, tudo indica que era ela, mas ele disse não poder dizer o nome porque, mesmo que tivesse acabado, ela ainda fazia parte do ciclo de amizades... eu fui sincera, mais uma vez, contei do Gustavo... contei que fiquei com ele 3 vezes.. e que me fez bem saber que ainda alguém me desejava.. que havia me sentido mulher novamente e isso tinha me dado vontade de continuar a vida...e que tudo tinha acontecido em Juruti.. que tudo se acabou quando fui para Poços.. desde então eu não tinha tido mais ninguém. Ele pareceu entender e aceitar e isso me fez me sentir respeitada por ele.. vim cheia de esperanças, assumi minha decisão publicamente e não me importei em ser alvo de críticas e julgamentos. Dias depois descobri que ele continuava mentindo pra mim.. que ainda estava com ela e, coitada, fazendo com ela a mesma coisa que fez comigo, com a Joseana, com a Katia... enfim, fui observando as características dee sociopatia que ele apresentava. Mas eu não fiquei por menos... Descartei ele da minha vida, até mudei de celular, bloqueei ele no msn... mas minha insegurança despertou meu senso investigativo novamente e comecei a "seguir" a estagiária via face, via blog (sim, ela também tem um blog) e... meu Deus.. ela também estava sofrendo... pode realmente não ser ele.. mas tudo indicava que sim... as mesmas dores, as mesmas frustrações, os mesmos comentários... ela já havia percebido que ele não presta... e que, se não era ele, que alguém não presta na vida dela também.. que alguém na vida dela mente, engana... Mas eu comparava as postagens dele com as dela, tudo coincidia!!! Ela mudava o status de solteira para relacionamento, ele também, ela deletava ele do face e mudava para solteira novamente, ele também. Eles faziam as pazes, ela postava feliz e novamente fazia parte do grupo de amigos dele no face.. e algo acontecia e ela (ou ele) deletava dos contatos novamente.. Toda a instabilidade tipica dos relacionamentos dele... Nesse meio tempo a Flavia veio morar comigo e aoompanhou meu aprisionamento, minha obsessão e meu sofrimento.. e compartilhava comigo. Quando não era eu comparando os perfis, a própria Flavia fazia isso.. e indignadamente eu ia percebendo que eu não estava vivendo minha vida... e nem ela, a estagiária... Meu Deus, será que a procuro? Será que conto a verdade para ela? E se ela pensar que a louca obsessiva era eu, e não ele? De fato eu estava sendo obsessiva, mas pela história dela, não dele.. não mais dele... Assim como foi a Joseana.. todo mundo a condenava e dizia que ela era louca.. mas quando eu vi os emails dele a procurando, as ligações que ele fazia.. fui percebendo que ela era só uma vitima apaixonada e sofrendo... e era por isso que ela me procurava tanto... Será que a estagiária ia achar o mesmo? Ou será que ela não tem maturidade sucifiente para entender, e acharia que eu estava querendo destruir a relação dos dois? Enfim... permaneci no silêncio... tive vontade de escrever o nome dela completo aqui.. um dia, se ela procurasse pelo seu nome no google certamente acharia meu blog... tive vontade de postar no blog dela, de adiciona-la no face... de ao menos dizer a ela: a verdade é essa, pequena garota. Você escolhe o que quer pra você.. mas infelizmente não tenho o direito de fazer isso...
Enfim... chegou as férias.. pela primeira vez viajei sozinha para o carnaval de Salvador (parte da viagem foi com a Sheiloca, mas o restante foi sozinha). Todos os dias, até então, mesmo ele estando com ela e com outras, ele não parava de me procurar... de postar mensagens no meu face, de tentar me adicionar como amigo... Passei o carnaval deletando ele todos os dias.. detalhe: ele também estava em Salvador. E eu acompanhava todos os passos dele pelo face, para não ir nos mesmos lugares... Quando fui de Salvador a Recife, e ele me procurando, não aguentei e respondi uma das mensagens: "que parte do 'não te quero mais' vc não entendeu?? Sua namoradinha sabe que vc tenta me adicionar ao menos 2 vezes ao dia??? sem contar emails e mensagens de celular, né... já não te disse que não quero mais contato com vc??? larga de ser palhaço, Wener... vc é doente!!! tá fazendo com ela o mesmo que fez comigo e com a Joseana... va procurar um psicólogo, Wener, e me deixa em paz.. Se vc não parar de me procurar, vou mandar para ela todas as msgs q vc me manda pra mostrar a boa bisca q vc é.... eu to pegando NOJO de vc....." A resposta dele? A mais sínica possivel: Bem, vamos por partes: em 1o lugar não tenho nenhuma namoradinha... em 2o lugar todas as vezes que conversamos sobre nossa separação vc sempre frisou que aconteceu pq eu nao fiz nda do q combinamos no e-mail... o que não é mais verdade hoje... se vc quiser scaneio todas as evidências... não entendo pq vc tá pegando nojo de mim... poxa... vc saiu da minha vida feito um furacão... do nda... e agora manda uma msg dessas cheia de ofensas....." Do naaaadaaaa???? Eu, com a garganta intalada, desbloqueei ele no msn e começou a discussão.. mais de 3 horas, eu, diante daquele mar lindo, discutindo no msn, enchendo a cara e fumando um maço de cigarro inteiro... e ele, persuasivo como sempre, conseguiu me amolecer.. fez eu prometer que depois de 3 meses a gente poderia conversar.. que ele ia fazer terapia, tentar melhorar como ser humano, etc e tal, e que eu tinha que dar uma nova não sei quanta última chance pra ele.. Os três meses acabam dia 13 de junho.. exatamente 1 ano depois da separação... exatamente 3 anos depois dele me pedir em namoro... A audiência é dia 8. O dia que vamos conversar. Eu não quero mais ele, mas estou com medo do seu poder de persuasão.. Me sinto aprisionada ainda... Em Salvador reencontrei um amigo de adolescência... ficamos juntos, estamos juntos!! Estou curtindo, mas não consigo me entregar. Ele é honesto, sincero, de boa índole. Sei que é porque me conta coisas que qualquer homem não contaria.. mas mesmo assim desconfio, não me entrego, não consigo me permitir.. e olha que penso nele o tempo todo... vou deixar um cara legal escapar, porque me sinto presa... e ela, a estagiária? Ela saiu do face de novo, parou de postar no blog... será que ela se sente presa também? E pra falar a verdade, espero que seja realmente ele o causador de tanto sofrimento... dói demais saber que existe mais um canalha no mundo feito ele, fazendo uma pessoa bacana sofrer... e provavelmente então, outra pessoa pode também estar sofrendo nas mãos dele... mais uma...