29 de jun de 2011

Que valores são estes?

“Fui criado com princípios morais comuns:
Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos, eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto. Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades… Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade… Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror… Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão.
Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos. Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Pagar dívidas em dia é ser tonto… Anistia para corruptos e sonegadores… O que aconteceu conosco? Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas. Que valores são esses? Automóveis que valem mais que abraços, filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Celulares nas mochilas de crianças. O que vais querer em troca de um abraço? A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser… Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores! Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão! Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho. Quero a esperança, a alegria, a confiança! Quero calar a boca de quem diz: “temos que estar ao nível de…”, ao falar de uma pessoa. Abaixo o “TER”, viva o “SER”. E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera, leve como a brisa da manhã!
E definitivamente bela, como cada amanhecer. Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases. Vamos voltar a ser “gente”. Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas. Utopia? Quem sabe?… Precisamos tentar… Quem sabe comecemos a caminhar transmitindo essa mensagem… Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!”.

Arnaldo Jabor

17 de jun de 2011

Minhas Helenas

Minha Psicóloga costuma brincar que minha vida é uma novela e cada uma das minhas fases é uma personagem...
No auge da minha insonia diaria e costumeira que eu carinhosamente apelidei de insonia das 4 (sempre as 4h da madruga), eu me encontro refletindo sobre a vida e tudo que eu passei. Então decidi listar as mulheres da minha vida. Vamos ver se dá uma boa novela mesmo? Eis as minhas Helenas:
1. Helena Flor: adolescente que muda com a familia para uma cidade nova e tem dificuldade de se adaptar. Conhece um rapaz mais velho por quem se apaixona. Seu primeiro amor. Ele passa uma imagem de bom moço, mas é violento e possessivo. Sempre bate nela, a ameaça e tira sua virgindade forçando-a ter relação, com uma faca no pescoço. Helena flor é retraida e tem dificuldade de relacionamento com seus pais. É uma menina estudiosa, mas que quando começa a viver as crises desse amor, passa a ter problemas na escola e quem precebe é uma professora que vai tentar ajudá-la.
2. Helena Maria: uma professora recém-formada e inexperiente que, pela necessidade financeira e por ideologia, começa a trabalhar numa escola de suburbio. É solteira e ajuda os pais nas despesas com a casa. Tem dois irmãos menores, que ela cuida. Se depara com varios alunos problematicos, inclusive Helena Flor, a quem decide ajudar.
3. Helena Aparecida: uma mulher batalhadora, que cria seus três filhos sozinha, vendendo marmitex nas portas de fábrica. É amiga da mãe de Helena Flor.
4. Helena Rosa: uma hipponga que viaja pelo Brasil em seu trailer, vendendo artesanatos e divulgando as diversas culturas do Brasil. (Essa é a minha Helena idealizada).
5. Helena Dark: uma menina de classe média que adora baladas e vive na loucura. Tem um namorado que toca numa banda de rock. Os dois fazem muita bagunça juntos, mas ele é mais ajuizado que ela e passa a ajuda-la a se tornar uma pessoa melhor. No começo vivem um relacionamento conturbado, que depois vai se harmonizando. Mas o relacionamento termina quando ela se apaixona por um amigo.
6. Helena Madalena: uma mulher nova e recem casada, que perde os pais de uma forma trágica e se vê na obrigação de cuidar dos irmãos mais novos. Vive um eterno conflito em se dividir entre o marido e os irmãos.
7. Helena Yara: uma mulher divorciada e sozinha, que um dia conhece seu idolo. Os dois se envolvem e passam a viver um relacionamento apaixonadamente louco e complicado. Ela trabalha como secretaria num escritorio.
8. Helena Patricia: uma menina de classe alta, fútil e mimada. Trata as pessoas de forma arrogante e se acha melhor que todo mundo. Mas também sofre muitas decepções. Um dia passa a enxergar os erros que cometeu e vai em busca de corrigi-los.
9. Helena Angelica: organizadora de eventos, mulher cheia de amigos e totalmente indepentente. Vive trocando de namorado e não se apega a ninguém.
10. Helena Tatiana: A protagonista. Uma mulher independente e trabalhadora. Formada e pós graduada, em busca de uma ascensão profissional. Conhece um homem no trabalho que demonstra ser o cara mais apaixonado do mundo. Começam a viver um romance lindo que mais parece um conto de fadas. Casam-se rápido. E ai os problemas começam a aparecer. Ela fica submissa a um homem cafajeste e mulherengo, que a manipula e a faz se sentir culpada dos problemas que eles vivem. Mas um dia consegue dar a volta por cima.
11. Helena Sandra: uma mulher que sonha em ser mãe. Tem um bom casamento, mas se sente incompleta. Vive em função de tratamentos para engravidar. O marido não aceita muito a ideia. Entao ela passa a ter um caso extra-conjugal, na tentativa de ser mae.
12. Helena Silvia: uma garota esforçada, timida e atrapalhada que é apaixonada por um grande amigo, mas não consegue se declarar. Prefere ficar oculta só para estar perto dele.
13. Helena Andrea: De familia de classe alta e cansada de ver o sofrimento do pai viuvo, se reune com as irmas para encontrar a mulher ideal para o pai. Depois de muita procura, encontram uma mulher com quem seu pai se casa. Porém essa mulher não é flor que se cheire. Tem a intenção de dar o golpe do baú, provocando inclusive a morte de seu pai.
14. Helena Augusta: é mae de uma criança pequena e inteligente e tem uma mae alcoolatra. Nunca tem tempo para si, pois sempre se divide entre ser mae e ser filha.
Enfim, tem muito mais Helenas dentro de mim. Mas a gripe não deixa eu parar de lacrimejar e estou com dificuldades de enxergar o que escrevo... mas acho que sim, daria uma boa novela, né? Imagine só todas essas Helenas se encontrando numa trama? E logico, não é só de Helenas que se vive uma vida... tem os personagens coadjuvantes, que são as pessoas que eu tanto amo e muito me ajudaram a ser o que sou hoje. Entre elas, posso destacar: Sheila, Sandra, Nanda, Thu, Kelsia, Kell, Guaciara, Ellen, tia Izabel, Aninha, Claudio, Patrick, Lobo, Juliana, Ricardinho, tia Ana Mirtila (in memorian), Dona Ana, outra Dona Ana (in memorian), etc... e os pares amorosos, sendo alguns deles, vilões: Marcelo, Wener, Ranan, Welber... parei nesse instante para ler o que escrevi e vi que todos os pares amorosos tiveram um “q” de vilão nessa história, rss... Seria uma novela ante ao amor? Rss... Acho que não, acho que seria totalmente em prol dele!! Em prol do amor!! Ensinando as pessoas a como ser e a COMO NÃO SER um grande amor...

5 de jun de 2011

A vida só muda quando a gente quer que mude!!!

Semana passada eu estava mal... acho que deu pra perceber no ultimo post... mas acho que o grande motivo era meu trabalho... pois até hoje eu sofro as consequencias o que o Wener fez comigo na Alcoa... mas estou conseguindo mudar isso com minha nova chefe... ela está acreditando em mim e olhando meu potecial, desenvolvendo em mim as coisas necessárias para a nova atividade... não tem o prque toda aquela insegurança... aos poucos eu vou apagando ele da minha vida... só falta resolver esse lance do apto... o resto é comigo! Eu quero, eu posso e eu consigo!!!
Quando ao cara legal que eu estava ficando... não estou mais... mas descobri que não consigo me entregar a ele, não por estar presa ao pasado, mas sim porque não era para ser.... Como eu descobri isso? Nesse final de semana aconteceu algo totalmente inesperado... E eu estou sentindo todos os deliciosos sintomas da paixão.... Um amigo de algum tempo... a gente sempre saia junto, em turma... sempre conversavamos muito.. mas eu nunca podia imaginar... e nem ele... e eu voltei a sentir frio na barriga, ficar olhando pro nada como boba e pensando nele o tempo todo... a gente não se viu ainda, de novo.. não sei o que vai dar... mas o que conheço dele, sei que é um cara de bom carater, de boa índole... estou disposta a acreditar nele... a investir nele... tomara que ele esteja disposto também.. porque foi tudo tão bom... e eu que achei que nunca mais ia sentir isso de novo... rss...