23 de jul de 2013

De vez em quando eu venho.. e volto...

Como eu disse em post anterior, é muito mais fácil escrever quando se está triste. E como estou vivendo momentos tão felizes na minha vida, não consigo puxar um assunto para escrever...
Então as vezes eu venho por aqui, leio meus posts antigos, revivo algumas emoções, vai que aparece alguma inspiração... e na verdade penso em escrever sobre um monte de coisa, mas fico só no pensamento... rss...
Então hoje, lendo um comentário de uma amiga querida, que estou sem contato (de novo), pensei em escrever sobre amizades...

(pronto, travei)

Bem, vamos lá, sessão desabafo, rss...
Eu vivo escutando pessoas dizendo: "eu só procuro quem me procura.." / "eu dou atenção para quem me dá atenção..." "Ai Taty, eu no seu lugar, não procuraria fulano, não mandaria flores pra beltrano" "ai Taty, você é muito boazinha, as pessoas te fazem de capacho".... e eu, bem, eu entendo que as pessoas tem outros compromissos para se dedicar, tomaram rumos diferentes e nem sempre podem me dar a atenção que eu gostaria de ter.. então eu procuro mesmo, e se não tenho a atenção esperada, eu entendo... e depois, procuro de novo.. e o dia que a pessoa me procurar, eu estou de braços abertos, sempre. E rodo o mundo, se necessário, para ver a pessoa... reformulo meus compromissos, me mantenho dedicada e ativa!
Só que eu SEMPRE estou procurando as pessoas.. ai um dia resolvo pensar e agir como elas. Pronto, é como se o mundo rodasse ao contrário... eu escuto que não sou mais a mesma, que estou deixando meus amigos de lado por causa de namorado (agora namorido, estamos morando juntos), que eu sou falsa, que esperava isso de todos, menos de mim e tudo mais que essas pessoas que dizem "eu só procuro quem me procura..", dizem das pessoas que não as procuram. quando na verdade eu sou a mesma pessoa, a mesma coisa de sempre.
Ai eu paro e penso: o problema não está nas pessoas que não te procuram. Sim, eu estava certa desde o principio, as pessoas tem outros compromissos para se dedicar, tomam rumos diferentes... o problema está em quem acha que não recebe a atenção necessária e decide "descartar" essa pessoa que tem uma vida normal, da vida dela!!! E se eu escolho ser assim, o problema está em mim também.
Estou sendo clara? Não?
Então vou contar uma histórinha.

Monica e Magali (não estou te plagiando, Mauricio de Souza, só te inspirando para uma nova historia, rss).. enfim... Monica e Magali eram muito amigas... desde a infância, adolescência. Estavam sempre juntas. Iam pra escola, para festas, tomavam banho de chuva, jogavam queimada, paqueravam, patinavam... tudo juntas. Só que a vida as projetou para caminhos diferentes e elas perderam contato por muitos anos. Monica casou, se separou. Magali ficou doente, se curou. Monica mudou de cidade, Magali fez 3 faculdades. E depois de 15 anos, a vida resolve juntar as duas novamente.
Mais maduras, cheias de histórias de vida, de alegrias e traumas, as duas se reencontram como se a ultima vez que tivessem se visto tivesse sido ontem. E a rotina volta. As duas vão para bares juntas, festas, assistir jogos, ir na casa de amigos. Riem juntas, choram juntas. Com uma diferença: Monica está namorando, Magali, não.
Até que um dia o cupido finalmente acerta a britadeira no coração da Magali (pq flecha anda difícil ultimamente) e ela começa a namorar um cara de outra cidade (ah vah, na dimensão dos gibis: outro bairro). "Que legal, agora sairão de casalzinho." Não!
No mesmo período Monica termina com o namorado e cai em depressão. Monica começa a ligar para a Magali e pedir ajuda. Na verdade não "pedir!, mas insinuar!
Magali está vivendo outro momento da sua vida, com seu novo Cascão. Se preocupa com Monica, mas tem outros compromissos para se preocupar. Monica se ofende, porque mesmo namorando seu Cebolinha, sempre que Magali precisava, ela estava lá. Mas mesmo ofendida, entende, porque sabe que as pessoas tem outros compromissos para se dedicar, tomaram rumos diferentes e nem sempre podem dar a atenção que ela gostaria de ter...
Ai Magali volta do bairro do namorado. Feliz da vida. Mas não procura Monica para ver como ela está, se ela melhorou, nem para compartilhar sua alegria. Afinal, elas teriam outras oportunidades.
Passa um mês, dois meses, as duas só se falam por telefone, por facebook, por mensagem. Mas a chama da amizade continua ativa. Neste período Monica reata com o namorado e a Magali vai todo o final de semana para o "outro bairro" namorar.
E eis que chega um momento que a Magali precisa da Monica.  Era seu aniversário. E Magali odeia fazer aniversário. Mas decide que esse ano vai ser diferente.
Monica até vai ao local combinado, toda feliz, achando que vai rever a amiga, compartilhar novas vivências, como se a ultima vez que tivessem se visto tivesse sido ontem e a rotina voltaria. Mas Magali tem um problema com o carro e liga dizendo que não vai conseguir ir. Monica, se oferece para ajudar.  Magali recusa a ajuda. Monica, para não ficar chateada, faz planos com outra amiga em comum e vai para outro lugar. Magali liga avisando que agora ela vai. Monica então a convida para ir onde ela e a outra amiga em comum estão. Magali se ofende porque é seu aniversário e ela diz que tem o direito de escolher onde ir. Monica tenta animar Magali de todas as formas, para ir encontrá-las.  Magali só a repudia, pois está magoada e com o botão de auto-defesa 'mode on' e no final a chama de interesseira.
Monica sente muito. Sabe que não merecia ouvir aquilo. Mas a briga acaba por ali.
Outras aproximações até acontecem, mas nunca mais como antes.
Mas as duas sabem que se um dia precisarem, poderão contar uma com a outra. Vão ouvir um monte de bronca uma da outra, mas vão se ajudar.
Mas as duas sabem que pode ser que daqui uns anos vão se reencontrar, compartilhar novas vivências, como se a ultima vez que tivessem se visto tivesse sido ontem e a rotina voltará.
Ou não...

...



Eu só cansei, nesse caso e em outros, de ser a que sempre procura, a que sempre conversa, a que sempre entende.

Antes eu dizia que se eu fosse presa as 3h da manhã, eu teria pelo menos umas 30 pessoas para ligar que pagariam minha fiança.
Hoje eu não sei mais se é assim. Aliás, sei que não é. Hoje eu sei exatamente para quem ligar e sei que minhas opções não preenchem uma mão.

Não que as pessoas deixaram de ser minhas amigas. Mas porque a vida é assim... as pessoas aparecem, desaparecem, tornam a aparecer... E que fulano e beltrano que foram meus melhores amigos num período, nem sempre serão os mesmos fulanos e beltranos melhores amigos de outras fases da minha vida.
Não quer dizer que eu não sinta falta, não sinta saudades.
Sou uma pessoa nostalgica e dou valor a cada momento vivido com cada pessoa que passou pelo meu caminho.... E se eu pudesse, teria todas elas no meu presente hoje.
Acho que por isso gosto tanto do facebook, ele me dá a ilusória idéia de que todos meus amigos estão reunidos em um só lugar. Como uma festa.

Mas mesmo eu tendo cansado de ser a que sempre procura, se qualquer uma das mais de 30 pessoas que eu ligaria me ligar, eu estarei aqui para pagar a fiança! Eu estou seguindo a minha vida, só isso!

22 de jan de 2013

Reclamar, só se for para clamar duas vezes: Re-Clamar!!!

Passei alguns dias negros no começo desse ano. A dificuldade de lidar com o excesso de trabalho, por mais que eu ame meu trabalho. As complicações na convivência com meu irmão, a carência exacerbada que sufocou meu namorado, o ritmo de vida das minhas amigas que não é mais o mesmo ritmo de via que o meu, os problemas com meu carro que fizeram eu desembolsar mais que eu podia no começo do ano, e assim desencadearam uma crise financeira mundial no meu orçamento. A decisão de alugar um canto para mim conflitando com os altos preços de aluguel e burocracia para se conseguir um imóvel em bom estado. Os problemas da minha irmã que por mais que não são meus e que nada eu posso fazer, me afetam por se tratar da pessoa que eu mais amo nesse mundo... a volta de tomar anticoncepcional que alterou meus hormônios.... tudo que parece problemas pequeninos em vista que eu já passei, mas que me derrubaram e desencadearam um crise de estresse e enxaqueca que vai me custar cerca de 150,00 de medicamentos por mês mais a volta da terapia. Por um instante voltei a ser aquela pessoa que o Rogerinho descreveu um dia: uma pessoa triste com momentos felizes.... Não, não pode ser!!

Ontem recebi um convite do Claudio de frequentar um grupo de orações que ele ia, há anos atrás, quando ainda era casado e vivia bem com a Gi. Resolvi aceitar, pensando nele. Pensando em incentivá-lo a ir.

Mas confesso agora, aqui, que acabei de chegar de lá, que percebi que eu estava precisando muitoooooo disso!!!

Chama-se Célula. É um grupo de orações de uma igreja evangélica cujo pastor é nosso vizinho. Algumas pessoas se reúnem numa casa, lêem uma mensagem inicial, fazem uma oração de abertura, cantam um cântico de louvor, leem um trecho do evangelho, conversam a respeito desse trecho, trocam opiniões e experiencias, fazem uma oração de agradecimento e confraternizam-se. Alguma semelhança com algo que nós, espiritas, convivemos? TOTAAAAALLL! Tirando o cântico de louvou, é exatamente o evangelho no lar!!!! (Aliás, bem que o evangelho no lar poderia ter um cântico de louvor) Me fez muito bem participar, uma vez que há tempos não encontro um grupo que faça evangelho no lar e que eu consiga participar. O trecho do evangelho em pauta hoje foi a parábola: depois da tempestade, vem a bonança. Vai falar que não tinha tudo a ver com o que eu comecei a contar no inicio do texto?? Vai falar que não era o que eu estava precisando???

E algo muito gostoso aconteceu. A pessoa que conduziu a reunião, o Serrinha, chamou meu irmão e um outro menino para sentar no centro de uma roda, todos direcionarem as palmas das mãos para eles e fazermos uma oração. Por coincidência (ou não), eu fiquei posicionada bem atrás do meu irmão. Senti a energia divina entrando pela minha cabeça e saindo pelas minhas mãos, exatamente como num passe. Eles estavam recebendo aquela energia vindo de todos que estavam ali. Eles estavam recebendo um passe!!! :)

Simplesmente amei participar e me comprometi a ir todas as terças-feiras.

E hoje vou ter uma belíssima noite de sono e desejo o mesmo a todos vocês!!!

Beijocas da Taty Paty Me-Au!!!

13 de jan de 2013

O que você quer para você?



Ninguém vem nesse mundo de graça.. nem sem motivos. 
A gente SEMPRE tem algo a oferecer a alguém, e algo a aprender com alguém. 
Olhe para sua vida. Quantos anos você tem? 
Não importa,  olhe para o que você passou e veja o quanto aprendeu. 
E o quanto colocou em prática o que aprendeu. 
Olhe o que você ensinou e o quanto as pessoas absorveram desse aprendizado. 
Olhe para as pessoas que te cercam e veja o quanto elas podem acrescentar na sua vida. 
O que é válido? O que não é? O quanto você pode acrescentar na vida dessas mesmas pessoas? 
É isso que você quer para daqui a diante? 

Se for, parabéns, você está no caminho certo, seja bom ou ruim, é o que você quer e o que você merece. 

Mas se não é o que você quer, está em tempo de mudar. 
Todo dia o sol renasce. Todo dia é um recomeço. 
Quantos anos você tem? Não importa!! 
Olhe para frente e veja o quanto ainda tem a aprender. E o que pode ensinar. 
Sempre temos tempo para mudar!
 Seja para melhor ou para pior, o que seja a sua escolha!

5 de jan de 2013

A árvore dá bons frutos quando bem cuidada desde quando se é semente!

Faz tempo que não escrevo por aqui, mas não sei o quanto de falta isso faz... para mim faz muita, pois muitas vezes sinto vontade de escrever, mas alguns fatores me impedem... as vezes a vontade de escrever vem quando estou sem conexão, quando estou ocupada demais, ou cansada demais... mas acho que isso tudo é desculpa... apesar de ninguém deixar comentários, vira e mexe recebo mensagem de amigos dizendo: "faz tempo que você não escreve", "estou com saudades dos seus textos", "blá blá blá wiskas sachê"... mas a verdade é que meu blog se tornou muito conhecido entre as pessoas conhecidas.
Isso em partes é legal, pois sempre gostei de compartilhar meus momentos com minha enorme gama de amigos e com a mais vasta gama de desconhecidos que compartilham das minhas idéias e sentimentos, mas em partes é ruim, pois criei o preconceito (na mais verdadeira essência da palavra - pré-conceito) de que o facebook é para compartilhar sentimentos bons, alegrias, momentos divertidos, e o blog sentimentos nostálgicos, desencantos, desabafos... e minha vida acaba por ficar exposta demais... não por mim, mas pelas pessoas que convivem comigo!
E ultimamente tenho estado feliz!!!
Quer dizer, lógico que alguns momentos tristes... faz parte da vida... mas em números gerais, tenho estado feliz!
Hoje particularmente não sei o que sentir, então decidi escrever. Mas sobre o quê? O quanto me expor?
Meus últimos posts eram sobre a dor que eu estava sentindo por ter acreditado que perdi um amor... o adulto mais puro que conheço, a pessoa mais íntegra que já passou na minha vida, um dia vira pra mim e diz que não me ama... que me ama, mas não me ama... realmente muito confuso.. e difícil de aceitar... a perda em geral é difícil de aceitar.. ainda mais quando você sabe, sente, que o que está ouvindo não é a realidade.. fica a dúvida persistindo na nossa cabeça: porque isso, se na pratica não é assim? E a dúvida, a insegurança trazem o maior inimigo do ser humano a tona: a junção das palavrinhas "e" e "se"... danos irreparáveis na nossa auto-estima surgem.
Mas as reflexões também surgem... e a auto-avaliação faz as vezes nos sentir culpados de culpas que não são nossas, e na maioria das vezes nem culpas são, mas também fazem nos sentir mais fortes, porque descobrimos que podemos contar conosco. E isso nos fortalece de tal forma que o antigo ensinamento da minha mãe se torna cada vez mais certo: "Ame a liberdade. E deixe livre tudo que você ama. Se acaso voltar, é porque te pertence, caso contrário, você nunca possuiu."
Ainda tenho meus caderninhos de recordações que ela sempre escrevia isso.
É incrível quando escrevo bem mais quando estou me sentindo triste.. ou quando algo me falta.
No final de julho, o homem mais puro e integro que já passou pela minha vida voltou ao posto do qual nunca deveria ter saído, na minha singela e modesta opinião: Ao posto de meu namorado!! rss...
Não fui a única que passou por momentos de reflexão, tristeza e crescimento pessoal.
Com ele veio uma bagagem de conquistas e superações.
Todas as dúvidas criadas pelo "e" e o "se" foram sanando aos poucos. Quer dizer, quase todas. Alguns fantasmas ainda me perseguem.
Mas descobri que não era falta de amor, mas sim, insegurança. Medo de ser feliz.
Eu, que sempre busco a felicidade, até nos momentos tristes, não conseguia entender como alguém pode ter medo de ser feliz. Mas existe.. alguém que não é acostumado com a felicidade, quando a tem, se assusta! Vendo por esse lado, é até normal ter medo de ser feliz.
Mas o bom é que ele descobriu que pode ser feliz. E essa descoberta não é mérito meu, não tenho a arrogância de achar que ele só é feliz ao meu lado. Mas ele sabendo que pode trabalhar numa coisa que gosta, estudar algo que gosta, viver em harmonia em casa, obter novas conquistas, realizar novos objetivos, sonhar e planejar concretizar sonhos, se amar acima de tudo.. ele descobrindo tudo isso o permite ser feliz ao meu lado, sem se assustar com o poder que a felicidade exerce sobre nós.
E eu saio ganhando muito com isso!!! :-D
Ajudá-lo nessas conquistas é também me realizar!!!!
Mas do mesmo jeito que tenho meus momentos tristes, ele também tem os momentos de insegurança. Afinal, ninguém muda da noite para o dia.
Houve uma época que eu me escorava nos meus momentos tristes... achava que as pessoas tinham que sentir dó de mim, serem solidárias, me darem ombro e carinho o tempo todo... achava que o mundo era injusto comigo, que eu devia ser uma pessoa muito ruim e estava pagando pelos meus pecados, sofrendo meus karmas...
Demorou muito tempo para eu mudar essa linha de pensamento. Para eu ver que as piores tragédias me trouxeram bons frutos. E que eu poderia saboreá-los sem culpa, porque também eram presentes de Deus.
Sei que ele está no inicio de um processo de amadurecimento emocional e sei que não é da noite pro dia que tudo vai mudar, que tudo vai melhorar. Eu tenho sede, mas prefiro usar a água para regar essa plantinha. E quero estar presente na hora de saborear os frutos, pois tenho certeza que serão os mais suculentos que poderão existir!!!

Eu te amo! E obrigada por me amar também!

2 de ago de 2012

A POESIA PREVALECE (TM)


Quanta mudança alcança o nosso ser... Posso ser assim, daqui a pouco não.
Quanta mudança alcança o nosso ser...Posso ser assim, daqui a pouco...
Se agregar não é segregar; se agora for, foi-se a hora.
Dispensar não é não-pensar; se saciou, foi-se embora.

Se lembrar não é celebrar; dura é a dor quando aflora.
Esquecer não é perdoar; se consagrou, sangra agora.

Tempo de dar colo, tempo de decolar.
O que há é o que é; e o que será
Nascerá, nascerá... Será?
Reciclar a palavra, o telhado e o porão;
Reinventar tantas outras notas musicais.
Escrever um pretexto, uUm prefácio e um refrão
Ser essência muito mais.

A porta aberta, o porto, a casa, o caos, o cais.
Se lembrar de celebrar muito mais. Muito mais...

A ciência, a essência, a poesia prevalece...
Tá certo que o nosso mal jeito foi vital
Pra dispensar o nosso tom o nosso som pausou.
E por tanta exposição, a disposição cansou.
Secou da fonte da paciência e nossa excelência ficou lá fora.

Solução é a solidão de nós.

Deixe eu me livrar das minhas marcas;
Deixe eu me lembrar de criar asas.
Deixa que esse verão eu faço só.
Deixa que esse verão eu faço só.
Deixa que nesse verão eu faço sol.

Só me resta agora acreditar que esse encontro que se deu
Não nos traduziu melhor.

A conta da saudade, quem é que paga?
Já que estamos brigados de nada; já que estamos fincados em dor.
Lembra o que valeu a pena foi nossa cena não ter pressa pra passar

18 de jul de 2012

Relacionamentos



"Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
- ‘Ah, terminei o namoro… ‘
- ‘Nossa, quanto tempo?’
... - ‘Cinco anos… Mas não deu certo… Acabou’
- É não deu…?
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona…
Acho que o beijo é importante… E se o beijo bate… Se joga… Se não bate… Mais um Martini, por favor… E vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa ta com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer…
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim… Quem disse que ser adulto é fácil?"

(Arnaldo Jabor)

16 de jul de 2012

Dez Chamamentos ao Amigo

Se te pareço noturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite
Olhei-me a mim, como se tu me olhasses.
E era como se a água
Desejasse

Escapar de sua casa que é o rio
E deslizando apenas, nem tocar a margem.
Te olhei. E há tanto tempo
Entendo que sou terra. Há tanto tempo
Espero
Que o teu corpo de água mais fraterno
Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta

Olha-me de novo. Com menos altivez.
E mais atento.
 
(Hilda Hilst)



Acabei de conhecer... e já amei...
Uma homenagem ao meu amigo-amigo...

14 de jul de 2012

Sabe quando uma coisa ruim te faz bem? E quando uma coisa boa te faz mal? Não está muito certo isso, né?

Não me atire no mar de solidão!!!!
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos....
Não me retalhe em escândalos, nem tão pouco cobre o perdão.....
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão que acabou feito um sonho, foi o meu inferno, foi o meu descanso...
A mesma mão que acaricia fere e sai furtiva, faz do amor uma história triste...
O bem que você me fez nunca foi real, da semente mais rica nasceram flores do mal....
Não me esqueça por tão pouco, nem diga adeus por engano...
Mas é sempre assim....

22 de jun de 2012

"Eu tenho olhado tanto...
Eu tenho olhado mas algo mudou..
Eu tenho mais que olhado...
Eu tenho enxergado
Eu tenho a consciência do caus.
Eu tenho visto o breu
Qual semelhança tem os seus?
Por onde na névoa escura
Quem olha pensa e procura 
Onde é que está Deus?
Ali tem uma pregação
É mais que fé é promessa de salvação
Acreditando você o irmão
Pena que o querer foi em vão
Do outro lado existe o canal
O que julga ser aquele escutar
Tem o poder de fazer acreditar
De afastar todo o mal...
Mas ele precisa mais que milagre
Ele precisa de toda bondade
Para juntar seu primeiro milhão...
E então eu perdida
Quanta verdade existe na vida
Ao não ser aquela que lhe dão?
E você segue a vida contente
Achando que o bem se fez consciente
Esquece-se da educação
Se acha dono 
Se acha o bom
Melhor do aquele que na solidão
Acha conforto na reencarnação
E a mãe que amava seu filho
Troca tudo por ouro no trilho
E o pai que já não é de família
Se perde sozinho
Ou se perde em quadrilha
O que importa se fé é intensa
Se você se entrega a aquilo que não pensa...
Ele precisa de toda bondade
Para juntar seu primeiro milhão...
E então eu perdida
Quanta verdade existe na vida
Ao não ser aquela que lhe dão?
E você segue a vida contente
Achando que o bem se fez consciente
Esquece-se da educação
Se acha dono 
Se acha o bom
Melhor do aquele que na solidão
Acha conforto na reencarnação
E a mãe que amava seu filho
Troca tudo por ouro no trilho
E o pai que já não é de família
Se perde sozinho
Ou se perde em quadrilha
O que importa se fé é intensa
Se você se entrega a aquilo que não pensa..."


(by Thu - minha irmã de alma!!! - te amo)



18 de jun de 2012



UNIÃO ANARQUISTA
Eu prometo não te prometer nada
Nem te amar para sempre
Nem não te trair nunca
Nem não te deixar jamais
Estou aqui, te sinto agora
sem máscaras nem artifícios
e enquanto for bom para os dois
que o outro fique
Nada a te oferecer exceto eu mesmo
Nada a te pedir exceto que sejas quem tu és
A verdade é o que temos de melhor
para compartilhar um com o outro
Tuas coisas continuam tuas
e as minhas, minhas
Não nos mudaremos na loucura de tornar eterno
esse breve instante que passa
Se crescermos juntos,
ainda que em direções opostas,
saberemos nos amar como somos
e não teremos medo ou vergonha um do outro
Não te prendo e não permito que me prendas
Nenhuma corrente pode deter o curso da vida
Quero que sejas livre como eu próprio quero ser
Companheiros de uma viagem
que está começando
cada vez que nos encontramos novamente.


(Geraldo Eustáquio de Souza)


Em homenagem a minha amiga Kell!

14 de jun de 2012


Tempo, tempo, mano velho, falta um tanto ainda, eu sei, pra você correr macio.

Como zune um novo sedã, tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai

Tempo amigo seja legal, conto contigo pela madrugada
Só me derrube no final...

13 de jun de 2012

Tem vezes que querer dormir de conchinha não é carência, saudade ou necessidade fisiológica.... as vezes é só uma questão de saúde...

11 de jun de 2012

Você clicou no "próximo blog" e veio parar aqui???? então curta e siga!!! :)

Você pegou o link no face? Então curta e comente!!!

Você digitou meu nome no google e me achou? Então me adicione!!! com certeza eu devo estar sentindo saudades de você!!!

10 de jun de 2012

É namoro ou amizade?


Ele fica só com ela.
Ela terminou um namoro por causa dele.
Eles se falam todos os dias.
Dividem alegrias. Brigam. Passeiam no shopping de mãos dadas.
Eles sentem ciúmes, se beijam em público e vão ao cinema.
Conhecem as familias, participam de churrascos, tem amigos em comum.
Viajam juntos, fazem planos.
Se respeitam e se gostam.
Estão há 8 meses juntos. MAS NÃO SÃO NAMORADOS.

Eu me pergunto: Se isso não é namoro, é o quê? E o que seria namoro? O que falta? Só o rótulo?
Quando eu tinha meus 12 anos, um menino de nome Carlos Eduardo - lindo, charmoso, sapeca e mais novo que eu 1 ano (para variar) me pediu em namoro. "Posso pensar?" eu disse... e depois de longos e tenebrosos 2 minutos eu respondi: "Tá bom, eu aceito". Foi assim que aconteceu o meu primeiro beijo. Estávamos namorando. Três dias depois ele terminou comigo. Chorei horrores, sofri, me descabelei, passei meses tentando entender o que aconteceu, superei e arrumei um novo namorado. Durou um mês e logo em seguida comecei a namorar outro. Durou duas semanas, ai voltei com o segundo namorado. E dessa segunda vez, durou 4 meses... e por ai foi... Amando, sofrendo, sonhando e retomando o amor... Todos namorados em casa, com o conhecimento e consentimento dos meus pais, churrascos, cinemas, mãos dadas no shopping... independente do tempo de duração. Sempre NAMORADOS.
Segundo o dicionário, a definição do verbo namorar é:
" v.t. Procurar inspirar amor a; requestar, cortejar; fazer a corte a; arrastar a asa para. Cobiçar, desejar vivamente possuir. v.i. Andar em requestos ou galanteios.v. t. Requestar, pretender o amor de. Galantear. Cativar; atrair: namora-me aquele jardim. Desejar muito. Empregar esforços para obter. Desflorar (uma donzela). V. i. Fazer galanteios amorosos. Procurar inspirar amor. 
V. p. Deixar-se dominar por uma afeição. Estar encantado; apaixonar-se. (Aphér. de enamorar)"

O dicionário informal da web também tem uma boa definição para o que significa namoro:
"é uma instituição de relacionamento interpessoal não moderna, que tem como função a experimentação sentimental e/ou sexual entre duas pessoas através da troca de conhecimentos e uma vivência com um grau de comprometimento inferior à do matrimônio. A grande maioria utiliza o namoro como pré-condição para o estabelecimento de um noivado ou casamento, definido este último ato antropologicamente como um o vínculo estabelecido entre duas pessoas mediante o reconhecimento governamental, religioso ou social[1]."

No meu tempo não existia essa história de "ficar". De "ter um rolo". Era namoro!!! Namoro fixo ou não, namoro sério ou não, mas sempre foi namoro, porque sempre estava dentro dos contextos literário, acadêmico e social, rsss...
Não sei porque as pessoas tem tanto medo dessa palavra. É só uma palavra.
Me lembro quando comecei a namorar o Luiz, nos comprometemos a não rotular nosso relacionamento. Mas as pessoas perguntavam: "Vocês estão namorando?" e eu respondia: "Sim". Enquanto ele respondia: "Não"...
Poxa vida... a gente se gostava, se respeitava, éramos parceiros e cúmplices, estávamos dominados por uma afeição mútua, fazíamos galanteios um ao outro, cativávamos um ao outro. Andávamos no shopping de mãos dadas. Por que não usar a mesma definição social que todo mundo usa?  Pode ser uma pré condição para o estabelecimento de um noivado ou casamento mas, em nenhum momento, é uma imposição seguir para isso. Pode-se namorar por anos e não se casar. Pode-se namorar por dias, ou até por horas, e o sentimento ser verdadeiro.
Até que um dia, depois de cinco meses juntos, uma pessoa perguntou pra ele na minha frente e pela primeira vez ele disse: "a gente não queria rotular, mas já que todo mundo chama assim....."
Quando eu disse que não me importava, não foi para não usar o nome "namoro". Mas sim porque o que eu acho que realmente importa é a vida e o respeito mútuo que os dois levam... e Isso só importa e interessa ao casal. Não precisam ficar falando aos quatro cantos do mundo que são namorados, colocar aliança de compromisso, fotinho de rostinho colado na cabeceira da cama e mudar o status de relacionamento do facebook. Mas também não precisam de fugir de tudo isso.

Namorar é uma coisa bonita, gostosa, saudável. Todo mundo devia namorar. E ser namoradeiro não significa galinhar. Galinhar, piriguetiar, pilantrar, é não se dar o respeito e não respeitar as pessoas com quen dividimos carinho/afeto ou simplesmente caricia.
Ser namoradeiro significa permitir sentir, amar, respeitar, curtir o outro, não importa quanto tempo dure nem quais são os planos para a "próxima fase".

Eu sempre fui namoradeira. mas nunca faltei com o respeito a ninguém. Brinco que namorei cinco ao mesmo tempo.. e de fato foi. Mas nunca faltei com o respeito a nenhum. Sempre fui sincera e honesta com todos eles, que aceitavam a situação exatamente como era. Lógico que hoje não faria isso, porque incluo na concepção de namoro a chance de durar para sempre. Antes eu não tinha essa visão e nem queria ter. Eu tinha 16 anos!!! rss... E para mim, fidelidade era sinonimo de sinceridade - se eu estava contando, estava sendo fiel. Simples assim. Hoje meu contexto de fidelidade ficou mais atrelado aos valores sociais e culturais e anda lado a lado com o quesito respeito. "Não faço para o outro o que eu não gostaria que fizessem comigo".

Pois bem. Meu namoro durou mais cinco meses depois disso. Terminamos com dez meses de convivência. E ainda tenho um fantasma de que um dia ele vai dizer para a próxima que eu fui "apenas um rolinho".
Mas eu sei o valor que esse relacionamento teve dentro de mim. Assim como todos os outros em que eu fui feliz ou enganada, submissa ou autoritária, displicente ou neurótica. Todos eles construiram um pouco de mim. Um pouco do que sou hoje. Pois a gente se faz de convívios...

Então, independente de você estar só ou acompanhado, namorando, noivando, casando, ficando ou tendo um rolinho - valorize seus convívios - tanto os bons quanto os ruins. Todos eles te trouxeram algum presente que se atrelou a sua personalidade.

E Feliz dia dos Namorados.

22 de mai de 2012

Eu preciso falar sobre isso

Desde o domingo a noite só se lê ou se ouve falar sobre o depoimento da Xuxa e o fato dela assumir ter sido molestada quando criança. Alguns comentários de apoio e muitos de crítica.
Não vi o depoimento na hora pois estava ocupada demais conversando bazzingamente com o meu "amigo" pelo skype, mas tenho lido tudo que vejo por  tratar-se desse assunto delicado e trágico.
Me entristece muito algumas pessoas a criticarem e dizerem que acham que é jogada de Marketing. Não sou a maior fã da Xuxa, mas creio que ela não precisa de Marketing para ser famosa... ela não acabou de sair da casa do BBB. Muito menos esse tipo de marketing sensacionalista tipico de Panicats e mulheres frutas!! Ela já usou desse artifício naquele filminho básico só para altinhos... não precisa mais disso!!! E agora até entendo o que a levou a fazer esse filminho, muito mais que o dinheiro... e, juro, não a condeno!!!
Só quem passou por isso sabe do que ela está falando. Realmente o medo e a vergonha dominam, mesmo quando mal sabemos o que está acontecendo. E as consequências são inevitáveis. Algumas pessoas se escondem atrás de uma imagem sensual ou sexual. Outras pessoas criam traumas de sair com alguém mais velho ou até mesmo do sexo oposto (recentemente um amigo me relatou uma história que não me sai da cabeça até hoje, o quanto ele sofreu). Outras pessoas se abstraem da sexualidade... Outras desenvolvem síndrome do panico e hipnofobia (meu caso)... mas sempre alguma consequência fica. Mesmo que não aparenta estar diretamente ligada ao abuso sexual.
Não é segredo para ninguém o que eu passei aos 13 anos. Hoje consigo falar disso com certa desenvoltura. Meus pais morreram sem saber a verdade. Poderia ter "me vitimado" e ter contado o que realmente aconteceu, mas preferi que eles pensassem que eu também tinha culpa, como de fato eu achava, na época que aconteceu. Durante muito tempo me calei para não cutucar a ferida, e até porque acreditava que o que eu sentia pelo meu algoz era o que se chama "amor". Até eu conhecer o amor de verdade e ver que a diferença é muito grande. Absurdamente grande. Amor não machuca. Quando aprendi a falar sobre o assunto, meus pais já tinham falecido, eu já estava casada e tinha uma criança de 9 anos morando debaixo do meu teto. O medo de acontecer com ele a mesma coisa que aconteceu comigo sempre foi muito grande, então entendi que uma conversa franca sobre sexualidade e comportamento sexual (são coisas diferentes, pode apostar) seria a melhor forma de educá-lo sobre o assunto.
Acabei de ler uma matéria escalando famosos que assumiram publicamente ter vivido essa trágica situação na infância e adolescência. Chocante... Triste....  Mas mais triste ainda é saber (e eu vi de perto) o quanto isso acontece nos lares das pessoas que não tem direito nem de sonhar em serem famosos um dia.... lares onde falta o pão de cada dia, mas não a pinga. Lares em que a mãe se torna conivente com o abuso, porque o agressor é justamente a pessoa que traz o alimento para dentro de casa. Lares em que o silêncio é a unica conversa e o choro é o único som propagado sobre o assunto. A violência sexual infantil corrói a esperança, destrói os sonhos e se torna banal em muitas familias... e a sociedade acaba sendo conivente por não denunciar.
Em Juruti, por exemplo, (e imagino que o mesmo acontece em outros lugares desse Brasilzão) há um grande índice de homosexualidade masculina e as meninas crescem com um comportamento digamos que, 'bem liberal', em relação a vida sexual. Todos começam suas vidas sexuais muito cedo e a promiscuidade é uma coisa natural. Num estudo feito por uma ONG a qual, acho que não tenho o direito de citar o nome aqui, foi comprovado que o Pará é o 2o. estado com o maior índice de violência sexual do Brasil, perdendo somente para Pernambuco. Agora eu pergunto: vocês acham ou não que uma coisa tem relação com outra?
Acompanhando o estudo desta ONG, feito por uma amiga minha jornalista, descobrimos que 58% dos casos denunciados em Juruti e cidades vizinhas acontecem dentro da própria casa. Isso porque, estima-se, que nem 30% dos casos são denunciados.
Ao lado da Pousada do Barroso, onde foi minha 2a morada, tinha uma criança de 9 anos grávida do próprio pai. Isso mesmo, não digitei errado: NOVE ANOS. A garotinha nem chegou a ter sua primeira menstruação.. engravidou no primeiro ciclo menstrual!!!! Sabe-se lá desde quando ela estava sendo violentada.....? E o que a mãe disse? "Vou fazer o quê, se o pai dela for preso, o que vamos comer?"
Então, independente de ser verdade ou não, Xuxa, (eu acredito que seja verdade), parabéns por ter levado a tona na mídia um assunto tão delicado como esses. Que sua referência como famosa sirva de incentivo para que as pessoas comuns possam assumir a dor, denunciar sem medo e buscar ajuda para superar o trauma.
Porque é possível superar. Eu consegui!!

18 de mai de 2012

Tem gente que faz tudo errado...

Toooodo mundo sabe que eu estou solteira.... inclusive os urubus de plantão.... e toooodo mundo sabe que, por mais que eu sorria, converse, brinque, estou fechada pra reformas... menos os urubus de plantão... e por mais que eu goste deles, como amigos, neste momento, como amantes em momentos passados, dá vontade de mandar todos as favas!!! Mas como sou uma pessoa educada e gentil, desabafo por aqui.
Tem gente que faz tudo errado... lembra aquele garoto que eu ficava, antes do Luiz? O tal amigo de adolescencia que re-encontrei em Salvador... bem, naquela época eu estava com o meu coração querendo se libertar de um amor bandido, mas também estava carente e muito tempo (muito tempo mesmo) sem beijar na boca, sequer... Morando sozinha, com a auto-estima sendo construida aos poucos, tudo que eu queria, embora não admitisse, era romance! Um bom filme, um balde de pipoca, carinho e elogios para inflar o ego. De preferência, todos os finais de semana! Não precisava ser namoro.. só romance....
Ai o amiguinho de infancia ressurgiu das cinzas. Ele, que era um cara tímido na adolescencia,  apaixonado anos e anos pela mesma garota, de repente se interessa por mim.. e tem "A" pegada!!! Ui... Foi tudo de bom... mas o tempo.. o pouco tempo (durou 3 meses) o transformou no maior pervertido da minha história... no bom sentido, tadinho, era um safado de bom coração!! Mas toda hora mandando msg pornografica... afff... vamos combinar que de vez em quando é bom pra apimentar uma relação a distancia... mas imagina vc num barzinho com as amigas e recebe uma mensagem do mais baixo escalão.. ainda com uns dizeres que exigem uma resposta.... e se não bastasse no barzinho, você também está na balada, dançando e se divertindo, a mesma coisa acontece. E vc, no show do Lobão e da Banda Leela, ao lado do seu futuro amor (o Luiz estava comigo, como amigo, nessa hora).. e o mesmo constrangimento continua... e se não bastasse, as mensagens pornográficas na hora do trabalho, quando vc está em casa faxinando e também na hora de dormir... aff.. pelo Amor de Deus... sai correndo...
Tá, passou... ficamos sem contato todo esse tempo que estive com o Luiz... mas foi só o status "solteira" aparecer no face que começou a chover xavecos... mas vamos continuar falando desse caso... Poxa, legal.. um cara bom de pegada e além de tudo um grande amigo.. boa opção para depois do luto! Vamos alimentar isso, na amizade, pra ver onde vai dar...
Mas quando eu queria romance, ele me deu sacanagem.. agora que eu quero amizade, ele vem querer me dar romance?? Poxa, eu já disse que não to afim de pegação... to curtindo uma fossa, me ajeitando emocionamente, me reconstruindo... e o cara fica toda hora mandando msg dizendo que "queria dormir abraçadinho", "quer me encher de carinhos", "quer me dar colo", "passar só pra dizer um oi, deixar um beijo e um abraço pra ficar mas juntinho"... e como se não bastasse, eu diplomaticamente e sutilmente dou-lhe 'uma bota', escuto na sequencia: "eu sei que é a fase que você está vivendo, mas saiba que aqui tem alguém que gosta de verdade de você e que vai ficar te esperando".....

"Ai que bunitinhu - fica com ele, Taty" - dizem minhas amigas - "... ai como eu queria que alguém dissesse isso pra mim....."
Pow, eu também queria.... MAS NÃO ELE!!! E ele sabe disso!!!!

E quer saber? Gosta de mim? Vai ficar me esperando? Poooooorra nenhuma!!! Ele só quer me comer e fica falando essas coisas, porque 1 ano atrás era disso que eu estava precisando....

Aff... homens... vou fazer como a menina do episódio de 'As Brasileiras', de ontem... vou voltar a ser VDBEBDL (virgem de boca e beijo de lingua)

15 de mai de 2012


Só você pra dar a minha vida direção, o tom e a cor...
Me fez voltar a ver a luz, estrela do deserto a me guiar, farol no mar da incerteza...

Um dia um adeus, eu indo embora, quanta loucura por tão pouca aventura...
Agora entendo que andei perdido, o  que que eu faço pra você me perdoar?

Ah que bom seria se eu pudesse te abraçar, beijar, sentir como a primeira vez, te dar o carinho que você merece ter...
Eu sei te amar, como ninguém mais... ninguém mais.... Como ninguém jamais te amou, ninguém jamais te amou, te amou como eu...

2 de mai de 2012


Já conheci muita gente
Gostei de alguns garotos
Mas depois de você
Os outros são os outros

Ninguém pode acreditar
Na gente separado
Eu tenho mil amigos mas você foi
O meu melhor namorado

Procuro evitar comparações
Entre flores e declarações
Eu tento te esquecer
A minha vida continua
Mas é certo que eu seria sempre sua
Quem pode me entender
Depois de você, os outros são os outros e só

São tantas noites em restaurantes
Amores sem ciúmes
Eu sei bem mais do que antes
Sobre mãos, bocas e perfumes
Eu não consigo achar normal
Meninas do seu lado
Eu sei que não merecem mais que um cinema
Com meu melhor namorado

Procuro evitar comparações
Entre flores e declarações
Eu tento te esquecer
A minha vida continua
Mas é certo que eu seria sempre sua
Quem pode me entender
Depois de você, os outros são os outros e só

Depois de você, os outros são os outros e só

23 de abr de 2012

Ok, entendi!!! Ele quer só minha amizade!!!

Ok, sem esperanças, sem expectativas. Então vamos tirar de órbita, deletar do mapa. Excluir do skype, colocar invisível no MSN, bloquear no face, apagar os telefones e se proibir de falar sobre ele com as amigas... mas sem conseguir esquecer que ele existe!!! Daí é pedir demais.

E como se desse tempo para esquecer... não passa uma semana e chega um email: "Taty, quer almoçar num restaurante japonês amanhã???"

As pernas tremem, as borboletas acordam do profundo sono no escurinho do estomago vazio, o sol brilha, os passarinhos cantam.... calma, chega, pára tudo!! Ele quer só minha amizade!!!

Mas e agora, o que eu respondo?

Quero ir... preciso me testar.. preciso descobrir se consigo. Não quero ir, vai ser difícil demais olhar para ele e não poder beijá-lo. Ver as mãos dele apoiando na mesa e não poder tocá-las. Dizer “não, obrigada, não quero sobremesa” sem colocar “amor”,no começo, meio ou final da frase.

Eu quero ir, preciso olhar pra ele, sentir o cheiro dele, mesmo que de longe. Não, eu não quero ir, ele é incapaz de me devolver o que eu perdi e preservava, não darei a amizade que ele tanto estima...

E o conflito interno tomou conta do meu ser por 26 horas, quando finalmente consegui responder: “Bom dia, como vamos fazer?”. E no pensamento: "Ele quer só minha amizade!!!"

Uma roupa simples e bonita, afinal, eu não estou indo para seduzi-lo, mas quero que ele pense: ‘nossa, que linda’. Perfume: o que ele deu de presente. Será que ele é capaz de identificar o cheiro? Capaz, né... Banho, cabelo, unha, maquiagem –Meu Deus, está quase na hora!!! Meu carro virou um jatinho!! E exatamente com 3 minutos de atraso (um ou dois faróis fechados que eu não contava) lá estava eu, na porta da casa dele.

Filho da mãe, ele colocou a camisa vermelha... Meu Deus, é muita sacanagem... como ele fica lindo de vermelho... e ele sabe que eu gosto... eu devia ter vindo com um decote mais provocante. Não, não, não.... ele quer só minha amizade!!!

Ele está chegando, cada vez mais perto... Putz, primeiro balde de água fria. O medo era tanto de errar o rosto que ele quase beijou minha orelha...

Lógico que eu não esperava por um beijo na boca, afinal não beijo amigos na boca. Mas tamanho distanciamento me fez pensar pela primeira vez o que eu estava fazendo ali. Calma, Tatiana, ele está dizendo corporalmente o que você já está cansada de saber: Ele quer só sua amizade!!!

Papo vai, papo vem, falamos dos empregos, das famílias, dos amigos, dos planos futuros... tudo muito agradável. E eu até me sentia totalmente a vontade.... quando não olhava pra ele!! Porque quando eu olhava, eu lembrava que não tinha mais beijo, nada de carinho, nada mais mãos dadas, nunca mais “babolinda”.... também, né... ele quer só minha amizade...

- “Vamos comigo no shopping?”

E agora, o que eu respondo? Não sei, não sei, não sei.. que vontade de fugir, que vontade de ficar...

- “Sim, pode ser”.. saiu no automático, sem eu pensar.

Bem, ele comprou o que precisava, me agradeceu por ajudá-lo a escolher e voltamos. Parei para abastecer no posto em frente ao prédio dele. Enquanto a bomba enchia o tanque, pela primeira vez saímos do assunto “você” e tocamos no assunto “nós”... quer dizer, ele tocou:

- “Não quero que você fique chateada, quero você bem, agora eu entendo o que dizia sobre não me querer por perto. Se não for para te fazer bem e se isso te alimentar esperanças de algo que não vai acontecer e blá blá blá wiskas sachê... não vai acontecer, não vai acontecer, não vai acontecer... Depois dessa frase, não ouvia mais nada, além do eco que ela proporcionou. Não vai acontecer!!! Ele quer só minha amizade.

Tudo que consegui dizer foi: “Foi agradável, vamos ver como vai ser o ‘Pos’, te mantenho informado”... e vamos para digestão dos fatos!!!

Outro abraço distanciado, daqueles que a gente dá no tio-avô que nem lembramos o nome e entro no carro. Um tchauzinho pelo retrovisor e uma sensação absurda de “algo faltando”...

Foi tudo perfeito.. a companhia agradável e educada, os bons papos (embora nada bazzingas), mas um vazio enorme pela falta do que realmente me 'falta'... Não doeu. Não chorei. E acho que estou até agora sem saber o que dizer... Mas o vazio nunca será preenchido, disso eu sei! Nunca mais romance, nunca mais cinema, nunca mais drinque no dancing, nunca mais “cheese”... Nunca uma espelunca, uma rosa nunca... Nunca mais feliz...





Então, se nunca mais, por que não tentar sermos amigos?





Adicionei no face de novo, no skype, no MSN. Peguei o num do celular de volta e troquei a frase: “Bom dia, dia!” para: “Ele quer só minha amizade”.